Rafael Matos

Assessoria

em

Comunicação

Sou Rafael Matos,
Jornalista

E acredito que minhas experiências profissionais me permitem atuar em projetos de jornalismo (jornal, rádio, TV e web) desde a concepção até sua execução final e em outras áreas da comunicação (planejamento, assessoria de imprensa, relações públicas, produção de conteúdo, comunicação corporativa). Quer trabalhar comigo? Entre em contato e conte suas ideias e projetos.

O que podemos fazer
Assessoria de Imprensa

Ser notado e se manter em evidência no mundo atual exige mais do que participações na mídia. Por isso não realizamos o típico trabalho de enviar mensagens em massa e esperar pela sorte. Atuamos na construção de relacionamentos de credibilidade.

Produção de Conteúdo

Produzimos e editamos conteúdo para publicações em diferentes plataformas on-line e off-line, como blogs, artigos, websites, mídia social, newsletters e TV corporativa.

Media Training

Preparação e treinamento para contato direto com a imprensa, participação em debates e entrevistas de rádio e televisão.

Cerimonial

Condução de eventos públicos ou privado, como palestras, encontros corporativos e inaugurações.

Personal Brand

Atuamos no desenvolvimento de personal brands para líderes e empreendedores.

Soluções Editoriais

Trabalho desenvolvido em parceria com a Carbo Editora (http://carboeditora.com.br/).

Trabalhos Recentes

Como construir uma marca pessoal com ajuda da comunicação

Imagem de Gordon Johnson por Pixabay
Quando você ouve falar em marca (branding) ainda pensa em algo ligado especificamente a empresas e corporações? Sem dúvida esta é uma conexão muito comum. No entanto, a verdade é que quase todo indivíduo hoje tem sua própria marca pessoal, independentemente de cultivar ativamente essa marca ou não. À medida que avançamos cada vez mais em direção ao mundo digital, é uma maneira de construir uma reputação que atrai clientes, parceiros e empregadores.

Quando uma marca pessoal dá errado – reconstruí-la (re-branding) é a melhor maneira de consertar o que deu errado. Com uma boa campanha de comunicação, é possível transformar uma marca pessoal ‘arranhada’ em uma oportunidade de sucesso.

Como começar

O primeiro passo para realizar um re-brading pessoal com a ajuda de um profissional de comunicação é fazer um diagnóstico e descobrir como é a marca atual. É difícil moldar a percepção com comunicados, eventos e estratégias de mídia social quando não há informações suficientes sobre o que precisa ser alterado.

Depois deste levantamento e do conhecimento sobre o que é preciso melhorar será possível planejar. Todo tweet enviado, todo status atualizado criado e toda foto compartilhada nas mídias sociais, blogs ou outros canais precisam ser projetados para transmitir uma certa mensagem. Uma empresa de comunicação pode ajudar na adaptação de conteúdo para se adequar e construir positivamente uma marca pessoal.

Reinventando com novas conexões

Uma das razões pelas quais as campanhas de comunicação dão resultado é que elas foram projetadas para ajudar a criar conexões entre um indivíduo e seu público-alvo. Os especialistas sabem tudo sobre como criar as parcerias e as redes certas. Durante uma campanha de re-branding pessoal, é importante que as pessoas pensem cuidadosamente sobre com quem desejam se associar e quem pode influenciar a percepção de seu público-alvo.

As conexões corretas nas mídias sociais e em eventos de marca podem ajudar a construir a credibilidade. Por exemplo, se alguém quiser se posicionar como um empreendedor ambientalmente amigável, faz sentido se conectar com o maior número possível de empresas e instituições de caridade ecológicas. Elas são essenciais para reinventar uma marca pessoal, pois, muitas pessoas julgam as empresas de hoje pelos relacionamentos que mantêm on-line.

Uma vez que um indivíduo tenha as conexões certas para apoiar sua marca pessoal, ele poderá começar a desenvolver novamente a imagem que deseja enviar ao mundo. Isso significa criar conteúdo que suporte algumas das principais características pelas quais eles querem ser conhecidos.

Leia também...
Gerenciamento e construção de reputação: processo contínuo
Que tipo de networking um empreendedor deve focar?

Pós-graduação em comunicação? Três razões para buscar conhecimento

As pessoas que sonham em avançar em sua carreira profissional, seja no mundo das comunicações ou em outro setor, podem se perguntar se agora é a hora certa de buscar ainda mais especialização. Com um mercado de trabalho cada vez mais competitivo para os profissionais, ter algo que lhe dê uma vantagem extra no currículo pode ser uma ótima maneira de se diferenciar na pilha de candidatos.

Embora existam muitas outras maneiras pelas quais um candidato pode melhorar suas chances de conseguir um emprego, os cursos de pós-graduação podem ser uma boa maneira para certas pessoas. Na maioria dos casos, a decisão de obter ou não um diploma de especialização ou mestrado será altamente dependente das circunstâncias específicas com as quais uma pessoa deve lidar no dia-a-dia.
Apenas lembre-se de que estamos falando de Brasil e o momento atual mostra um mercado que exige qualificação, mas não está disposto a pagar por isso. Então, toda aquisição de conhecimento é válida para um enriquecimento pessoal, mas sem esperar um reconhecimento financeiro.

Entre muitas outras, aqui estão apenas três razões pelas quais um profissional de comunicação pode considerar obter seu diploma de pós-graduação.

1. Desenvolver conhecimentos específicos de comunicação:

Uma das melhores razões para fazer uma pós-graduação é obter uma vantagem competitiva no mercado, com conhecimento e experiência especializados. A especialização pode ajudar a se destacar entre seus pares. Além disso, para alguém em busca de uma promoção que talvez não tenha todas as habilidades necessárias para conseguir o emprego certo, a pós-graduação pode ser uma ótima maneira de superar uma barreira profissional.

2. Melhorar as habilidades de pesquisa e apresentação:

Outro bom motivo para se especializar é melhorar as habilidades de apresentação e pesquisa de um profissional de comunicação. Quase todos os programas de pós-graduação em comunicação exigem que os alunos concluam o projeto de pesquisa original, o que ajuda com suas habilidades de apresentação. A formação ajuda a desenvolver fortes recursos de solução de problemas, ensinando as pessoas a desenvolver questões cruciais de pesquisa, investigar essa questão e articular suas descobertas. Isso também pode significar trabalhar em estreita colaboração com outras pessoas - algo que é importante para um trabalho de comunicação. Isso até pode parecer óbvio, mas quem é do ramo sabe como os colegas são na realidade.

3. Aprimore as habilidades de redação:

Por fim, para concluir uma pós-graduação, a maioria dos estudantes precisará escrever para leigos e especialistas. Dissertações e teses são frequentemente escritas para acadêmicos em um campo específico, mas as pessoas nesses cursos também precisam aprender a traduzir suas pesquisas em termos não técnicos, para que possam explicá-las a outras pessoas.

O Mundo dos Negócios - Edição 14

Produção e edição nº 14 da revista O Mundo dos Negócios

Gerenciamento e construção de reputação: processo contínuo


O gerenciamento e construção de reputação não é apenas trabalhar para sustentar uma percepção externa positiva da sua organização. Também se trata de antecipar quais fatores internos ou externos podem afetar a reputação da sua organização, para que você possa tomar medidas para diminuir esses riscos. Você não pode prever quando uma crise ocorrerá, mas o planejamento de contingência realizado como parte de uma estratégia de gerenciamento de reputação ajudará a garantir que você esteja pronto para reagir e não perca tempo pensando no que fazer.

Estabelecendo contatos

Se o seu gerenciamento de reputação for proativo - como deveria ser -, você estará conversando com os jornalistas relevantes para sua organização. Isso tem duas vantagens. Em primeiro lugar, quando algo relevante acontece para o seu setor, você tem os contatos para oferecer comentários como um líder deve se posicionar. Em segundo lugar, se algo der errado, você não estabelecerá contatos do zero e poderá se comunicar efetivamente com jornalistas que já estão familiarizados com você e sua organização.

Saber quem são seus amigos

É melhor que outras pessoas falem sobre você do que você fale sobre você mesmo. A opinião de terceiros é crucial para estabelecer a credibilidade de uma organização. Em circunstâncias adversas, quem conhece a sua empresa pode garantir comentários de apoio sobre ela. Ao manter seu gerenciamento de reputação, você mantém esses formadores de opinião informados e engajados. 

Saber quem são seus oponentes

O gerenciamento da reputação não é apenas falar com pessoas que gostam de você. Trata-se também de identificar como a sua organização pode se envolver com membros do público e formadores de opinião que talvez precisem se convencer do seu ponto de vista. Alguns indivíduos ou grupos serão mais duros em suas críticas ou oposição, mas uma estratégia de gerenciamento de reputação pode ajudar a identificar continuamente suas críticas em potencial e como elas podem ser amenizadas. 

Parar o processo significa começar do zero

Muitas organizações pensam que as relações com a mídia e o gerenciamento de reputação são como torneiras que podem ser abertas e fechadas quando se bem entender. A verdade é que qualquer organização que deixar de se envolver com seu público, críticos e a mídia terá que começar do zero quando reiniciar o processo, perdendo o benefício de quaisquer relações que possa ter criado.

Foto por rawpixel.com - br.freepik.com

Leia também...
Devo contratar uma assessoria de comunicação?

Cinco principais mitos das relações com a mídia

Adicionar legenda
A velocidade do mundo digital tem grande efeito sobre o trabalho dos jornalistas e dos meios de comunicação. As fake News são um reflexo desta ‘bagunça’ e que também acaba gerando alguns mitos sobre as relações com a mídia. Abaixo desmistificamos cinco deles.

1. Os comunicados de imprensa têm tamanho definido

Apesar de alguns milhares de sites que afirmam que os comunicados de imprensa devem ser curtos, e outros milhares que afirmam que devem ser longos, a experiência mostra o contrário. Notícias de relevância nos jornais exigem informação, o que significa comunicados de imprensa devem ter o conteúdo e os detalhes que os repórteres precisam. Dessa forma poderão ser longos ou curtos conforme a mensagem que terão que passar. Muitos dos comunicados de imprensa curtos que vejo falta conteúdo atraente - eles são curtos porque têm pouco a dizer. Outros longos demais apenas enrolam para que pareçam ter alguma relevância. Ou seja, hoje em dia não temos tempo a perder com o que é desnecessário.

2. Nunca ligue para um jornalista

Se você fizer uma pesquisa com jornalistas e perguntar como eles preferem ser contatados, a resposta será ‘por e-mail’. Mas a razão pela qual a maioria das atividades de relacionamento de mídia falha é porque as histórias não são ‘vendidas’ adequadamente. Os jornalistas dizem que odeiam telefonemas porque estão acostumados à conversas com assessores de comunicação inexperientes que telefonam em horários inadequados, como o de fechamento de uma edição, para perguntar se receberam um comunicado de imprensa. Mas ligar para oferecer informação de valor genuíno não só funciona, como é apreciado.

3. A velocidade moderna de comunicação significa ‘publicação imediata’

Se você trabalha para um órgão público, enviar comunicados à imprensa para uma grande lista de distribuição com o apelo de ‘publicação imediata’ pode funcionar bem. Mas a abordagem de ‘distribuir e rezar’ tem desvantagens. O risco é que uma pauta não tenha cobertura alguma e seja vista como uma notícia antiga. Muitas vezes, é muito melhor fazer uma lista, de acordo com a importância, dos meios de comunicação nos quais você gostaria que a história aparecesse e, em seguida, telefonar até que alguém concordasse em usá-la. Em certos assuntos dar exclusividade para um veículo de grande audiência/leitura pode ter um efeito bem melhor do que ser publicado em diversos lugares que ninguém vê, ouve ou lê.

4. A mídia quer estudos de caso pré-escritos

Os meios de comunicação de qualidade querem fazer suas próprias entrevistas. Ter pessoas disponíveis para serem entrevistadas a qualquer hora é extremamente útil, mas enviar entrevistas pré-escritas ou gravadas, sem uma solicitação específica para isso, para um veículo de prestígio não terá o efeito esperado.

5. Jornais não importam mais

Milhares de pessoas ainda leem jornais todos os dias, sejam as edições impressas ou as publicações on-line. Os jornais têm uma capacidade incrível de atingir públicos influentes - e o conteúdo é usado principalmente on-line, onde os grupos jornalísticos estão desfrutando de seus maiores leitores na história. A verdade é que as mídias sociais e os jornais têm uma relação simbiótica, se beneficiam desta relação, mas têm papeis diferentes. Os meios de comunicação têm compromissos e responsabilidades sobre o que publicam, os perfis das redes sociais, nem sempre.

Por que usar uma assessoria de comunicação?

Photo by Pavan Trikutam on Unsplash
Muitas vezes me perguntam por que usar uma assessoria de comunicação? O que uma assessoria de comunicação pode fazer por uma empresa que a publicidade ou o marketing não podem fazer? Seja um pequeno negócio, uma empresa iniciante ou simplesmente uma organização que está buscando expandir para um novo mercado, a assessoria de comunicação é uma ferramenta importante. Aqui está o que eu penso ...

Credibilidade

A assessoria detém uma posição poderosa no conjunto de comunicações. Um dos maiores impactos da assessoria de comunicação são as relações com a mídia, que ajudam a obter cobertura editorial. As pessoas do mercado-alvo podem ver a informação editorial como uma avaliação independente e objetiva de uma empresa. Devido à objetividade da cobertura editorial, a assessoria de comunicação é considerada mais confiável do que outras formas de comunicação de marketing. Perante ao público, a cobertura editorial é mais confiável do que a publicidade.

Eficácia de custo

As assessorias de comunicação podem ser menos dispendiosas do que outras formas de comunicação paga, mesmo que se contrate uma agência externa de assessoria de comunicação em vez de realizar essa tarefa internamente. Enquanto se está pagando pelos serviços de um especialista, o que está alcançando na forma de cobertura da mídia e mudanças na percepção pública poderiam, de outra forma, custar muito mais.

Exposição

A cobertura da mídia obtida através da assessoria de comunicação provavelmente será mais extensa do que aquela que você alcançaria através da publicidade, considerando um orçamento similar. Especialistas sabem qual mídia segmentar para qual mensagem (e muitas vezes cultivaram contatos incríveis), qual conteúdo a mídia quer, quando relatar qual história e qual é a melhor maneira de transmitir sua mensagem.

Flexibilidade

A assessoria de comunicação tem o benefício de ser flexível no conteúdo das mensagens e de serem receptivas às notícias. Um profissional capacitado pode reverter uma reação a notícias ou situações de crise em poucas horas.

Leia também...
Afinal, o que é uma assessoria de comunicação?
Como usar a comunicação para superar a crise econômica

Que tipo de networking um empreendedor deve focar?

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay
Networking não é apenas sobre a aquisição de novos negócios, é sobre cercar-se de uma rede de apoio para a sua vida, em geral. Eu nunca conheci ninguém que tivesse contatos demais. Mas afinal que tipo de networking um empreendedor deve focar?

Com frequência cometemos o erro de relaxar sobre as nossas redes de relacionamento quando tudo está indo bem para os negócios ou carreira. Então, quando mais se precisa de uma luz, não temos os contatos ou apoio necessários e precisamos começar a confiar em pessoas com as quais nunca nos preocupamos em construir um relacionamento.

Minha sugestão é que sempre que possível façamos parte de redes ligadas ao nosso setor específico e também a grupos não tão específicos assim. Há muitas razões para se adotar esta prática, mas aqui estão apenas algumas.

Networking para dentro


Seu networking setorial pode ajudá-lo a manter-se atualizado sobre o conhecimento da sua área e concorrentes. Quem é quem no mercado de trabalho? Onde podem estar os futuros clientes?

Networking para fora


Já uma rede de relacionamentos de fora do seu setor irá expô-lo a um grupo de pensamentos e ideias diferentes. Dali poderão surgir novidades que poderão ser aplicadas à sua carreira ou negócio e ainda lhe dar acesso à futuras aspirações, mentores e informações.

Quais são as suas dicas sobre como aproveitar ao máximo um evento de networking? Fica pelos cantos e escuta as conversas lá do fundão da sala?

Tenha cartões de visita na mão, mas use-os com respeito. Sempre chegue na hora. Dessa forma, você pode se apresentar aos organizadores e conhecer o evento, o formato e observar se algum de seus contatos está participando. Quem sabe algum rosto amigo ajuda a quebrar o gelo.

Questões para responder antes de escrever comunicados de imprensa

Imagem de Werner Moser por Pixabay
Uma das atividades que envolvem o trabalho de um assessor de imprensa e comunicação é a redação de comunicados de imprensa, conhecidos por releases, que são textos com informações sobre atividades de seus clientes e que servem como orientações para pautas mais aprofundadas. Ter estas sugestões de temas aprovados e posteriormente com espaço nas mídias é um dos grandes objetivos. 

Boa parte do sucesso nesta prática está relacionada à relevância do que está sendo divulgado. O relacionamento do profissional é importante também, mas se o assunto não for de interesse, fica mais complicado. Outro ponto fundamental é que ele seja bem redigido para que seja atrativo e consiga despertar o obstáculo inicial que é chamar a atenção de alguém do outro lado da mensagem.

Confira algumas questões que devem ser respondidas na hora de escrever comunicados de imprensa

1. Você já pensou em qual mídia gostaria que o artigo aparecesse?
2. Você verificou esta mídia para conferir o estilo, a abordagem e os assuntos que interessam? Seu artigo finalizado é consistente com o conteúdo atual da mídia de destino?
3. Você escreveu uma sinopse sobre o que gostaria de dizer e por que é interessante? Você verificou isso com outras pessoas, clientes e outros envolvidos com a área de comunicação?
4. Quais exemplos práticos ou atuais podem ser incorporados ao artigo? Um terceiro ou outro aspecto das capacidades do cliente também pode ser projetado no artigo? Você pode conseguir a opinião de mais alguma fonte alternativa para endossar o trabalho, pensamento ou abordagem?
5. Seu artigo contém informações de interesse para os leitores da mídia-alvo? Ele passa no teste “e daí”?
7. Você está totalmente confortável que o texto não irá causar problemas ou quebrar a confidencialidade? (Uma vez que um comunicado tenha sido submetido à mídia, o receptor está totalmente dentro de seu direito de editar o texto como achar melhor).
8. Você teve o texto editado e verificado? Isso inclui a remoção de palavras e jargões desnecessários.
9. Você já pensou em distribuir ou acompanhar o artigo depois de publicado?

Tem outras questões para acrescentar? Deixe nos comentários e compartilhe também a sua opinião e conhecimento.

Leia também
Sete dicas de como escrever um comunicado para a imprensa

Devo contratar uma assessoria de comunicação?


O trabalho de uma assessoria de comunicação (AI) pode contribuir para o crescimento de um negócio e justificar o investimento. Há quem imagine que não precise ou até mesmo que este trabalho pode ser feito por aquele sobrinho que sabe tudo de redes sociais. Mas também sempre é válido lembrar que o barato, às vezes sai caro.

Partindo do ponto de que a sua empresa pode assumir este investimento, a contratação de uma assessoria de comunicação respeitável poderá ser muito positiva. Com objetivos bem definídos e um bom planejamento, os resultados virão.

Uma assessoria poderá ser capaz de identificar os aspectos do seu negócio, que seriam de interesse público e ganhar alguma repercussão. Vale lembrar aqui que o trabalho de uma AI só será eficiente se houver valorização, confiança e comprometimento. De nada adiante manter uma assessoria se nunca há tempo para acompanhar o que está sendo feito, ou atender aos chamados para as demandas que serão criadas.

Para finalizar, uma AI pode resolver uma crise, mas um trabalho de longa duração, bem planejado e executado faz uma grande diferença. Então, é importante avaliar como a comunicação pode ser um investimento e não um custo.

Imagem de mohamed Hassan por Pixabay

O Mundo dos Negócios – Edição 13

Produção e edição nº 13 da revista O Mundo dos Negócios

Como fazer uma videoconferência produtiva?

Com muitas empresas com escritórios e clientes espalhados em diferentes localidades, a comunicação online é um dos recursos mais próximos do frente a frente, pois, permite que se veja, ouça e converse com pessoas em outro local. Pode ser usado em reuniões com clientes, investidores, especialistas e em entrevistas à imprensa. Mas a grande dúvida é como fazer uma videoconferência ser produtiva? 

Você pode reunir apenas algumas pessoas em um local ou em muitos locais em todo o mundo. Este recurso é fantástico quando é preciso estabelecer contatos com uma pessoa ou grupo que não lhe conhecem presencialmente. Pela videoconferência eles poderão ter uma noção de quem você é.

Além de ver e ouvir um ao outro, uma reunião online permite a troca de informações como documentos, fotos, gráficos, mapas, e até mesmo pequenos objetos. É possível exibir uma apresentação ou outros arquivos do computador. Todo o encontro também pode ser gravado.

Este recurso proporciona ainda uma economia de tempo e dinheiro. Já fez as contas de quantos descolamentos, viagens e diárias de hotéis podem ser evitados. É possível entrevistar candidatos a uma vaga de trabalho que moram distantes e realizar treinamentos.

Para aproveitar esta tecnologia é preciso também um pouco de planejamento. Faça testes antes da videoconferência para saber se todos os equipamentos estão funcionando devidamente, se o local escolhido tem a acústica necessária e se a conexão de internet suporta a operação. E não esqueça também de planejar o encontro. Reunião boa tem pauta definida, hora para começar e hora para acabar.

E para você, quais são as suas experiências com videoconferências? Elas funcionam? Deixe um comentário e compartilhe a sua opinião.

Imagem de rawpixel por Pixabay

Portal OMDN

Projeto com participação na aprovação de design, estrutura do portal e produção de todos os conteúdos até a estreia no dia 5 de agosto de 2019 e continuidade com alimentação de conteúdo diário.


Três dicas para aumentar a visibilidade de textos na web

Imagem de <a href="https://pixabay.com/pt/users/StockSnap-894430/?utm_source=link-attribution&amp;utm_medium=referral&amp;utm_campaign=image&amp;utm_content=923188">StockSnap</a> por <a href="https://pixabay.com/pt/?utm_source=link-attribution&amp;utm_medium=referral&amp;utm_campaign=image&amp;utm_content=923188">Pixabay</a>
Quem escreve para a web deve levar muito a sério os recursos de pesquisa. Comunicados e artigos devem seguir algumas orientações para obter mais visibilidade nos mecanismos de busca. Confira algumas dicas que podem ser úteis para que escreve e produz conteúdo.

Implemente SEO (já escrevemos sobre isso outro dia):

Para que o público-alvo encontre o seu texto ou site nos mecanismos de busca, as páginas devem conter palavras-chave que correspondam às frases que seu público-alvo está digitando e pesquisando. Jornalistas até entendem esse conceito, mas muitas vezes não o implementam. A sugestão é dar pequenos passos. Se escrever com palavras-chave não for um hábito estabelecido, comece pequeno. Enfatize apenas uma palavra-chave e veja como você a usa. Quando estiver satisfeito com uma palavra-chave, tente duas. Então três e assim vai pegando prática.

Faça link para outros textos já publicados em seu site e/ou blog:

Quando as pessoas chegam ao seu site, o que você quer que elas façam? Leia o seu artigo e saia? Use o recurso de indicar artigos e outros textos que tenham alguma relação com o que está sendo publicado. Certifique-se de que as páginas estão ativas e assim vai proporcionar mais visitas, leitura e tempo de permanência dos usuários.

Incentive os visitantes a realizarem uma ação (CTA – Call to Action): 

Os escritores da web, geralmente têm objetivos diferentes dos sites de comércio. Os pontos de conversão desejados incluem o número de visualizações de página e o tempo gasto no site. Incentive os visitantes a ler outros artigos e deixar um comentário. Para empresas de assessoria de imprensa, incentive os leitores a ler além do comunicado sobre um cliente. As interações valorizam o seu conteúdo e ajudar a destacá-lo nos mecanismos de pesquisa.

Tem outras sugestões para fazer, conhece outras dicas que podem ajudam? Deixe o comentário e compartilhe com a gente a sua experiência.
Faça contato
Tecnologia do Blogger.

Endereço

Criciúma, Santa Catarina, Brasil

Telefone e whatsapp

+55 (48) 996 290 666

Website

www.rafaelmatos.com.br