quinta-feira, 7 de julho de 2016

Definições em Tubarão

O cenário eleitoral vem ganhando algumas definições há menos de quinze dias da abertura do prazo legal para as convenções partidárias. Em Tubarão, tudo indica que vamos ter quatro candidaturas.

PSDB e PMDB estão definidos com Carlos Stüpp e Edson Firmino. Já realizam eventos de preparação juntos e demonstram preocupação em unir a militância.

PP e PSD também formam outra pré-candidatura com Joares Ponticelli e Caio Tokarski, que agora, com o desfecho da ponte de Congonhas confirmou a participação na chapa.

Já PSC e PPS não chegaram a um acordo sobre a indicação do cabeça de chapa e vão estar em projetos diferentes. Edi da Farmácia continua sendo o pré-candidato do PSC e o PPS que tinha Paulo Garcia como indicação vai acabar coligado com outros partidos, sem participação direta na chapa majoritária.

A pré-candidatura da situação deve repetir a dobradinha do PT, com o atual prefeito Olavio Falchetti e o vice Akilson Machado. Uma mudança chegou a ser discutida com o vereador Matusa no cargo de vice, mas ele vai ficar de fora mesmo da eleição.

Continue lendo...

Everaldo fora da disputa em Laguna

Em Laguna o prefeito Everaldo dos Santos (PMDB) não vai mesmo disputar a reeleição. A desistência que vem sendo discutida há um bom tempo foi confirmada ontem ao apresentador da Unisul TV, Antônio Rodrigues. Hoje à noite Everaldo é o convidado do programa Conversa de Botequim e promete falar mais sobre o assunto.

Continue lendo...

SRL tem quadro indefinido

Em Santa Rosa de Lima, a atual prefeita Dilcei Heidemann (PMDB) e o vice Mário Benedet (PSDB), devem repetir a coligação para disputar a reeleição. Da lado da oposição é cogitado o nome do atual vereador Salésio Wiemes (PT) com um vice do PSD. Mas o PP que integraria esta chapa quer indicar outro nome para ser o candidato a prefeito. Por isso a situação segue indefinida.

Continue lendo...

Prioridades ainda sem garantia

A Assembleia Legislativa realiza na região a partir desta sexta-feira as audiências públicas sobre o Orçamento Regionalizado. Estas audiências definiem as prioridades regionais que devem ser incluídas no Orçamento do Estado para 2017. Só que o Projeto de Lei Complementar nº 4/2016, que torna impositivas as ações escolhidas em cada região ainda não foi aprovado. Ou seja, ninguém garante que apesar da escolha, os pedidos locais fiquem só no papel.

Continue lendo...

Google+ Followers

Seguidores

Twitter







Recent Visitors