terça-feira, 5 de maio de 2015

UPA, ex-24 Horas

Na campanha eleitoral de 2012 a obra em andamento da UPA 24 Horas foi muito discutida pelos quatro candidatos a prefeito de Tubarão. Todos tinham como meta terminar o projeto sonhado pelo ex-prefeito Manoel Bertoncini, que inclusive vai dar nome para a Unidade.

Mas passados três anos a UPA continua do mesmo jeito que estava quando Bertoncini ainda vivia, parada. De lá para cá o projeto não andou e pelo que se informou ontem na visita do secretário estadual de saúde João Paulo Kleinubing, para ser concluída vai mudar e deixar de ser 24 horas. 

Quase R$ 2 milhões já foram investidos no projeto e outros R$ 2,6 milhões ainda são necessários para que ela seja terminada. E se um dia for, não vai prestar atendimento 24 horas e cumprir um dos objetivos que era desafogar a emergência do Hospital Nossa Senhora da Conceição.

A sugestão de Kleinubing e do secretário de desenvolvimento regional Caio Tokarski é que seja feita uma prestação de contas do que foi realizado e depois um novo convênio com o estado para terminar a UPA, ex-24 horas. Neste ritmo, a obra não será concluída tão cedo.

Só que além de não conseguir terminar a construção da UPA o atual governo, que foi o vitorioso na eleição de 2012, também projetava outra Unidade de Pronto Atendimento, desta vez com recursos federais. A proposta apresentada naquela campanha era questionada pelos adversários, pela viabilidade de manter duas UPAs.

No final das contas, nem UPA Estadual e nem UPA Federal. O projeto começado ficou parado, praticamente abandonado, e o outro nem saiu do papel.

As explicações para isso podem ser diversas. Falta de recursos no município para fazer a sua parte. Quebradeira no governo federal para fazer os projetos nos municípios ou total falta de planejamento e gestão de recursos das três esferas.

Enquanto isso o cidadão continua ficando doente, acordando de madrugada para conseguir consultas, e na fila de espera por exames e cirurgias.

Continue lendo...

PP de Laguna pode ganhar novos filiados

A possibilidade de proibição de coligações nas eleições proporcionais tem deixado todos os partidos em sinal de alerta. Muita gente deve mudar de filiação, principalmente aqueles que integram siglas menores. Em Laguna, o PP pode ser o destino de algumas delas. Inclusive partidos que têm apenas um vereador na Câmara da cidade. O presidente municipal Fábio Kfouri Palma diz que só não revela nomes para não atrapalhar as conversações.

Continue lendo...

Google+ Followers

Seguidores

Twitter







Recent Visitors