quarta-feira, 9 de julho de 2014

Temos que aprender

Toda derrota deve trazer um aprendizado. Mesmo as mais dolorosas. Mas não sei se a derrota de ontem, da nossa querida e admirada Seleção Brasileira, por mais humilhante que tenha sido, vai fazer com que os brasileiros aprendam alguma coisa.

Não vejo a goleada da Alemanha como uma tragédia, pois foi apenas um jogo de futebol. Tragédia é algo bem pior. Mas como o brasileiro trata o futebol com mais seriedade que a política podemos fazer uma relação entre o que deu errado e o que precisa melhorar.

A seleção alemã não está entre as melhores do mundo por acaso. Depois do fracasso nas copas de 1994 e 1998 eles traçaram um planejamento para voltar a ter um time forte e principalmente para ter a melhor organização de uma Copa do Mundo como foi a de 2006.

Na área futebolística trataram de fortalecer o campeonato nacional. Os clubes de lá não fazem gastos exorbitantes para contratar os maiores astros do futebol. Há um investimento sério nas categorias de base e desenvolvimento de cidadãos, que até podem se tornar jogadores de futebol profissional, mas se não forem estarão preparados para a vida. Os reflexos apareceram em campo e nas últimas quatro copas, eles estão sempre entre os finalistas.

Já no Brasil, o país do futebol, se teima na teoria de que aqui os craques brotam naturalmente. Organizamos a nossa Copa, com estádios inacabados, obras pelas cidades também em andamento e tivemos em campo um time que é o reflexo de toda esta desorganização.

Até construímos estádios em lugares onde o futebol não tem nenhuma expressão. Será que temos um planejamento para a utilização destes espaços? Temos algum planejamento para modernizar a nossa forma de jogar? Os nossos campeonatos vão continuar sendo decididos nos tribunais? Os nossos melhores jogadores vão continuar no exterior?

Que a derrota de 7 a 1 nos faça descer à realidade, que é dura, mas pode mudar. E não estou falando só do futebol.

Continue lendo...

Stüpp na Alesc

O ex-prefeito de Tubarão, Carlos Stüpp (PSDB), voltou a ter um mandato eletivo depois de seis anos ao assumir hoje uma cadeira na Assembleia Legislativa. Ele ficará no cargo de deputado estadual por três meses, na vaga do deputado Dóia Guglielmi (PSDB) que disputa a reeleição. Stüpp fez 23.404 votos nas eleições de 2010 e ficou na suplência. Agora em 2014 ele vai ficar fora da disputa.

Continue lendo...

Google+ Followers

Seguidores

Twitter







Recent Visitors