quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Para a próxima

Como estamos sem previsão do fim das eleições a cada dois anos é inevitável passar a discutir um pleito logo depois que outro acaba. Então, passado o segundo turno das eleições presidenciais de 2014, as atenções se voltam para as municipais de 2016. O que se pode dizer sobre o resultado das urnas?

Em Tubarão, o eleitor deixou dois grandes recados em cinco de outubro. O primeiro foi um grande sinal de alerta e insatisfação com o governo municipal. O vereador petista Matusa, candidato do partido de Olavio Falchetti, ficou abaixo de cinco mil votos, quando a expectativa era bem maior. O segundo é que Deka May (PP) desponta como o principal favorito para as próximas eleições. Sai da disputa para deputado estadual com a mesma motivação que Manoel Bertoncini teve em 2006 e Falchetti em 2010.

É claro que dois anos separam uma eleição da outra e muitas discussões devem ocorrer. Falchetti vai conseguir melhorar o desempenho do governo? Pai e filho serão candidatos, um pelo PT e outro pelo PV? A oposição vai se entender para evitar quatro candidaturas fortes como foi em 2012? Fala-se no retorno da união entre PP e PSDB, mas os tucanos vão aceitar ficar de vice? E PMDB e PSD como vão ficar nesta história? Mais algum partido pode surgir por fora? Muitas perguntas!

De Imbituba
O resultado de Imbituba também precisa ser avaliado nas projeções para 2016. O petista Rosenvaldo Júnior foi o mais votado na cidade com 7.143 votos, quase seis vezes mais do que os candidatos apoiados pelo PSDB, PSD, PMDB e PSDB e lideranças locais. A votação garante favoritismo e poder de negociação para garantir alianças que sustentem uma segunda candidatura a prefeito de Rosenvaldo.

Continue lendo...

Reajuste comerciários

Sindicato dos Comerciários e Sindilojas ainda não chegaram a um acordo sobre o reajuste da categoria. Trabalhadores esperam obter um piso acima de R$ 1 mil a ainda garantir folga num dos três domingos previstos para o horário especial de Natal que deve começar em 4 de dezembro.

Continue lendo...

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Corroídos pela corrupção

A presidenta reeleita Dilma Roussef (PT) tem como grande compromisso vencer a corrupção. O baixo nível da campanha focou em ataques pessoais e aos partidos dos candidatos. A conclusão que ficou é que os dois tiveram ou ainda têm muito envolvimento com escândalos. Espera-se que no futuro não tenham mais.

A corrupção corrói as riquezas nacionais. Bota no ralo recursos importantes para garantir mais saúde, educação, segurança, infraestrutura. É uma doença nacional que precisa ser curada.

As manifestações de junho de 2013 não foram devidamente expressadas nas urnas. No congresso e assembleias houve pouca renovação. Apenas parte do recado foi dado. Quase 40 milhões de abstenções e votos nulos e brancos no primeiro e segundo turno. Ninguém aguenta mais eleições a cada dois anos e candidatos sem propostas.

A grande mídia fala agora numa divisão do país após o resultado das eleições. Alguns até ressuscitam o movimento separatista (e inconstitucional) ‘O Sul é meu país’. Pois fica a pergunta: nesta separação, Santa Catarina seria o novo Nordeste, já que somos o estado mais pobre do Sul? Numa votação de dois turnos, é até óbvio falar em divisão, pois o eleitor tinha a opção de votar num ou noutro.

O que se deve observar nesta votação apertada é o fortalecimento da oposição. Nomes de peso foram eleitos para o Senado e congresso dando uma expectativa de boas discussões. Uma oposição mais forte será bem melhor para todos, inclusive para melhorar as ações do governo.

Continue lendo...

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

PSB na Alesc

O PSB catarinense vai discutir após o segundo turno das eleições o posicionamento dos dois deputados estaduais eleitos pela sigla, Patrick Destro e Salvaro. Segundo o presidente estadual, o deputado federal Paulo Bornhausen, o alinhamento com o governador Raimundo Colombo (PSD) não será automático, como se poderia pensar. Bornhausen foi secretário estadual durante quase todo o mandato de Colombo, mas eles acabaram em lados opostos nas eleições de outubro. Paulo Bornhausen percorreu o litoral sul nesta sexta-feira, incluindo Tubarão, para agradecer a votação recebida para o Senado. Em Tubarão ele fez três mil votos a mais que o eleito Dário (PMDB).

Continue lendo...

Rio Paes Leme

Um ano após a Ação Cívil Pública ter responsabilizado o município de Imbituba pelo assoreamento do Rio Paes Leme a situação parece não ter mudado. O vereador Humberto dos Santos (PMDB) pediu que a prefeitura apresente informações sobre o Plano de Recuperação de Área Degradada (PRAD), que segundo a Ação deveria ter sido apresentado em 90 dias.

Continue lendo...

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Votar deixou de ser prioridade?

As novas pesquisas desta semana botaram o tempero final nesta disputa presidencial. Dilma Roussef (PT) apareceu na frente de Aécio Neves (PSDB) pela primeira vez neste segundo turno e os próximos três dias vão ser de muita expectativa em torno do resultado final.

Uma das avaliações em torno dos números divulgados até agora é o impacto que eles podem ter na redução das abstenções. Muita gente que pensava em ficar sem votar pode ter mudado de ideia.

É a grande esperança já que no primeiro turno foram mais de 27 milhões de ausentes. Somados aos 11 milhões de votos brancos e nulos, tivemos mais votos que o segundo colocado. É muita gente desinteressada pelo processo.

Neste segundo turno a situação tende a piorar, pois em muitos estados, como Santa Catarina, a eleição para governador já foi definida. A esse desinteresse também se deve acrescentar o baixo nível da campanha que não ajudou em nada para cativar os eleitores.

Mas a grande impressão que fica é de que o processo político atual está esgotado. Candidatos fazem campanha sem apresentar propostas. O eleitor que já sabe disso nem prefere acompanhar. Os partidos políticos seguem desmoralizados e ninguém aguenta mais falar em eleições a cada dois anos.

E desse jeito vamos para mais um dia de votação, se der tempo é claro, porque do jeito que está o cidadão sempre acha algo mais importante pra fazer.

Continue lendo...

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Pronto Atendimento 24 Horas

A reabertura do Pronto Atendimento 24 horas foi cobrada por dois vereadores de Capivari de Baixo na última sessão. Jean Rodrigues (PSDB) e Nazareno (PT) pediram informações sobre a data de reabertura e sobre os pregões realizados para a reforma do PA 24 Horas. Eles e a população esperam por respostas.

Continue lendo...

Explicações sobre a transparência

Vereador de Tubarão, Nilton de Campos (PSDB) cobra da prefeitura a realização de uma Audiência Pública para explicar o funcionamento do Portal da Transparência. Segundo o que apurou, a prefeitura teria em caixa cerca de R$ 80 milhões. Mas ao mesmo tempo o vereador recebe queixas de fornecedores que chegam a esperar sessenta dias para receber pelos serviços prestados. Para ele é extremamente difícil apurar as despesas executadas.

Continue lendo...

Verificando a economia

A descentralização dos setores da saúde de Tubarão foi para gerar economia, mas segundo o vereador Neno da Farmácia (PMDB) ainda não foi possível verificar esta conta. Ele pediu cópias dos contratos de locações dos cinco novos imóveis e do antigo prédio da Milão. Como não recebeu este último e não sabe quanto tempo se pagou aluguel após a mudança ou mesmo se houve multa rescisória diz que não dá para calcular se houve ou não economia até agora.

Continue lendo...

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Dezoito meses depois

A indicação da ex-secretária de Saúde de Laguna, Tanara Cidade (PT), para ocupar a presidência da Fundação de Saúde de Tubarão era discutida há pelos menos um ano e meio. Quando Gustavo Dassoler deixou o cargo em abril de 2013 ela só não assumiu por resistência do prefeito Olávio Falchetti (PT) que disse em campanha que não iria nomear ninguém de fora da cidade. Dezoito meses depois teve que mudar de opinião.

Para não ferir o Artigo 70 da Lei Orgânica Municipal Tanara deverá, no mínimo, alugar um imóvel na cidade. Avalista para o aluguel não vai faltar. O texto diz que só residentes em Tubarão podem ocupar cargos de secretários, e a Fundação é a antiga secretaria de saúde. Uma tecnicidade para resolver, mas que está na lei.

O que vai interessar mesmo será a atuação de Tanara nos problemas da saúde, área tão criticada. O primeiro desafio é resolver o impasse com o HNSC, que pediu descredenciamento dos atendimentos do SUS.

A nova presidente também pega a Fundação com dinheiro em caixa. Estima-se que R$ 5 milhões estejam disponíveis provenientes de verbas específicas para a saúde. O que realmente indica que uma boa gestão pode resolver parte dos problemas.

Nesta história do Artigo 70 da Lei Orgânica, é curiosa a ausência de críticas quando o ex-secretário de Gestão Euclides Magri atuava na prefeitura. Não sei se ele também arrumou endereço por aqui, mas era sabido que era de Criciúma. Alguém lembrou do Artigo 70 no início de 2013?

Continue lendo...

Capivari de Baixo 2016

A sucessão municipal em Capivari de Baixo já começa a ser discutida. O deputado estadual eleito, Rodrigo Minotto (PDT), visitou a cidade para agradecer os 581 votos e nos discursos se ouviu muita motivação para que o atual vice-prefeito Tião da Telha (PDT) dispute a eleição como candidato a prefeito em 2016. No evento também estavam o Ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, e o Presidente estadual do partido, Luís Viegas.

Continue lendo...

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Olhar pra frente

Até a próxima semana ainda vamos ter mais três debates com os candidatos a presidente. Até lá se espera que tenhamos melhores discussões entre os candidatos. O que se viu no primeiro programa realizado pela TV Bandeirantes foi lamentável. Parecia uma discussão para escolher o síndico do prédio e não o presidente da sétima maior economia do mundo.

Dilma Roussef (PT) e Aécio Neves (PSDB) trocaram ataques e acusações durante quase todo o debate. O tempo inteiro ficaram olhando para trás e fazendo comparações. A conclusão que ficou é que os dois têm muita roupa suja para lavar.

Até se entende que algumas verdades precisam ser ditas e máscaras precisam cair. Tudo para ajudar a esclarecer e informar o que o eleitor não sabe. Mas também é preciso e importante olhar para frente e projetar o futuro.

Escândalos e desvios devem ser esclarecidos pela justiça e candidatos devem se preocupar em apresentar projetos viáveis e sintonizados com as necessidades do país. Estamos que a reta final da campanha tenha menos baixaria e mais esperanças de um futuro melhor.

Continue lendo...

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Contra ou a favor das pesquisas?

A realização de pesquisas é importante. No campo dos negócios podem indicar tendências e necessidades do mercado. Na comunicação demonstram as preferências do telespectador/leitor/ouvinte e na política a tendência de voto do eleitor. E neste momento estas são as pesquisas mais contestadas.

As pesquisas movimentam a campanha política, geram notícia, mas os erros registrados no primeiro turno novamente colocam em dúvida a capacidade delas de reproduzir a vontade do eleitor. Agora se fala novamente em aprovar leis que proíbam a divulgação durante o período eleitoral.

Tem sido assim nas últimas eleições. Sempre que termina a apuração surgem as reclamações sobre os erros. A grande pergunta é por que os políticos ainda não tomaram nenhuma atitude?

As consultas são válidas, mas deveriam ser divulgadas somente até a definição das candidaturas. Depois disso, só deveriam servir para consumo interno, para avaliações dos envolvidos nas campanhas. Durante a período eleitoral, já passou o tempo!

Continue lendo...

Reta final na Alesc

Restam pouco mais de 60 dias de atividades parlamentares na Assembleia Legislativa de Santa Catarina e uma série de matérias importantes vão estar em pauta. O orçamento de 2015, alterações no PPA, alterações administrativas que ainda nem foram enviadas pelo executivo, proibição do uso de amianto e alterações no Índice de Participação dos Municípios no ICMS estão entre os temas com mais destaques. A Comissão de Constituição e Justiça tem o compromisso de limpar a pauta, pois os projetos de iniciativa parlamentar não apreciados até 31 de janeiro de 2015 vão ser arquivados.

Continue lendo...

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Em busca de um prefeito

O fracasso dos candidatos do PMDB de Tubarão nas eleições de 2014 força novamente uma reflexão das lideranças partidárias. E quando se fala em Tubarão, pode se entender Amurel. Pela primeira vez, desde os registros de 1982, a região não terá nenhum titular do partido na assembleia legislativa ou câmara federal.

Ao se debruçar sobre os dados do passado, se verifica que os últimos três deputados do PMDB local eleitos foram também prefeitos de Tubarão. Foi assim com Stélio Boabaid, eleito em 1982 e 1986, Miguel Ximenes, eleito em 1990, e Genésio Goulart, eleito em 2002 e 2006. A exceção foi Edinho Bez em 1990, mas ainda com base em Gravatal. Quando os candidatos foram ex-vereadores ou novatos como foi com Jefferson Brunato em 1998, Alexandre Moraes em 2010 e Evandro Almeida em 2014 não se teve sucesso.

Então se pode concluir que para voltar a ter um deputado, o PMDB precisa primeiro voltar a vencer uma eleição para a prefeitura de Tubarão, o que não acontece a quatro pleitos. Outra opção seria indicar um nome da região. Ao que parece só um ex-prefeito conseguiria garantir a união regional. E qual seria esta pessoa? Neste momento, quem tem o nome regionalizado é o atual prefeito de Braço do Norte, Ademir Matos. Em 2016 ele poderá estar no quarto mandato pela cidade. Será que ele toparia renunciar para disputar o cargo de deputado e recuperar o espaço perdido pelo partido?

Goste-se ou não testa tese, o fato é que a situação do PMDB regional precisa ser avaliada. Sem representação local, os prefeitos de agora vão ter que buscar apoio com alguém. A reconstrução então precisará ser feita no dia seguinte às eleições de 2016. Os futuros prefeitos e vereadores eleitos é que deverão construir os projetos de candidaturas locais.

Continue lendo...

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Bancada do Sul volta a diminuir na Alesc e fica igual na Câmara

Entre todos os candidatos da região sul, foram eleitos sete deputados estaduais e três federais. Isso significa diminuição na bancada da Alesc e mesmo número na Câmara Federal. É a segunda eleição seguida em que se registra uma diminuição. Em 2006 a região Sul elegeu 10 deputados estaduais e um federal. Em 2010 foram oito estadual e três federais. As novidades de 2014 foram Ricardo Guidi (PPS), Rodrigo Minotto (PDT) e Claiton Salvaro (PSB). Na Câmara a novidade é Geovânia de Sá (PSDB). Confira a votação dos candidatos com domicílio ou base eleitoral na região sul (os eleitos estão destacados):

Governador
Amrec
PCB - Marlene Soccas – Criciúma - 3.927 votos

Vice-Governador
Amrec
PMDB – Eduardo Moreira – Criciúma - 1.763.735 votos
PSTU – Cíntia dos Santos – Criciúma - 7.420 votos
PCB – Valdelir Luiz – Criciúma - 3.927 votos
Amurel
PP – Joares Ponticelli – Tubarão - 1.026.722
PMN – Beto Pereira – Tubarão - 27.437 votos

Senado
Amrec
PT – Milton Mendes de Oliveira - Criciúma (vota em Florianópolis) - 428.000

Deputado Federal
Amurel
PMDB – Edinho Bez - Tubarão - 102.633 votos
PSOL – Cabo Damiani – Laguna - 14.371 votos
PT – Professor Paulão – Tubarão - 6.820 votos
PT – Valberto Wiggers Michels – Braço do Norte - 3.893 votos
PSOL - Juliana Torralba - Jaguaruna - 2.673 votos
PT - Suzane Lima - Jaguaruna - 517 votos
PMN – Diana Pereira - Tubarão - 227 votos
Ames
PDT – Beto Coan – Araranguá - 13.561 votos
PSD – Maria Regina Nunes Honório - Araranguá - 1.557 votos
Amrec 
PP – Jorge Boeira - Criciúma - 123.770 votos
PMDB – Ronaldo Benedet – Criciúma - 105.303 votos
PSDB – Geovania de Sá - Criciúma - 52.757 votos
PT – José Paulo Serafim - Criciúma - 22.675 votos

Deputado Estadual 
Amurel 
PSD – José Nei Ascari – Braço do Norte - 72.790 votos
PP – Deka May – Tubarão - 16.403 votos
PT – Matusa – Tubarão -13.704 votos
PMDB – Evandro Almeida – Tubarão - 13.047 votos
PT – Rosenvaldo Junior – Imbituba - 9.438 votos
PR – Prof. Maurício da Silva – Tubarão - 5.937 votos
PV – Rodrigo Falchetti – Tubarão - 2.173 votos
PP – Kléber da Kek – Laguna - 2.020 votos
PR – Silva Bombeiro - Laguna - 1.580 votos
PSOL – Cabo Adriana – Imaruí - 1.287 votos
PDT – Dra. Carol Igreja – Imbituba - 705 votos
PDT – Eliane Cristina – Laguna - 554 votos
PV - Amenar de Oliveira – Laguna - 543 votos
PEN – Márcio Duarte – Imbituba - 318 votos
PSC – Denny Souza – Tubarão - 284 votos
PP – Vivian Tamai - Tubarão - 269 votos
PSC - Marlene Kjellin - Imbituba - 226 votos
PSDB – Keli Oliveira – Laguna - 120 votos
PP – Silvia Maria – Imbituba - 98 votos
PSC – Keila Farias – Laguna - 98 votos
Amrec
PMDB - Ada de Luca - Criciúma (vota em Florianópolis) - 47.813 votos
PSDB – Dóia Guglielmi – Içara - 41.052 votos
PMDB – Luiz Fernando Vampiro – Criciúma - 35.799 votos
PP – Valmir Comin - Siderópolis - 32.730 votos
PPS – Ricardo Guidi - 31.704 votos
PDT – Rodrigo Minotto – Criciúma - 26.929 votos
PSB - Salvaro - Criciúma (vota em Florianópolis) - 14.986
PDT – Pastor Jervis – Criciúma - 12.936 votos
PP – Gelson Padilha – Orleans - 7.423 votos
PT – Dr. Mello – Criciúma - 5.502 votos
PCdoB – Oderi – Içara - 4.342 votos
PR – Dr. Silvestre - Criciúma - 3.507 votos
PDT – Professor. Celso O. de Souza – Orleans - 1.208 votos
PV – Gilberto Luiz – Morro da Fumaça - 599 votos
SD – Jorge Godinho da Silva – Criciúma - 325 votos
PTdoB – Joãozinho - Criciúma - 230 votos
PSL – José Eduardo - Criciúma - 186 votos
PSC – Frank – Criciúma/Içara - 179 votos
PEN – Tevez Machado – Içara - 111 votos
PPS – Celoni - Criciúma - 42 votos
Amesc
PP – Zé Milton – Sombrio - 49.489 votos
PMDB – Manoel Mota – Araranguá - 31.680 votos
PP – Beth Tiscoski – Sombio (vota em Florianópolis) - 9.534 votos
PR – Eder Mattos – Araranguá - 7.442 votos
PROS – Cabo Loro – Araranguá - 4.264 votos
PSC – Sarah Maciel – Balneário Gaivota - 1.268 votos
PEN – Eto Coral – Araranguá - 216 votos
PTB – Lucimar Nunes – Araranguá - 25 votos

Continue lendo...

O que fica?

Esta eleições ficaram marcadas pelo desinteresse do eleitor. Só nos últimos dias houve uma movimentação considerável. Até então parecia não ter campanha. Muita gente decidiu em cima da hora. Os motivos podem ser diversos, mas entendo que a falta de recursos financeiros para colocar a campanha na rua foi um dos fatores.

Partidos e candidatos tiveram dificuldades na arrecadação e sem dinheiro houve pouca badalação. O eleitor também deveria ficar um pouco envergonhado. Pois o que pareceu é que só campanhas milionárias o fazem se envolver com o processo eleitoral.

Mas também o descrédito de políticos, do processo eleitoral, e da impunidade com a corrupção deixam todos desanimados do processo. Ninguém aguenta mais eleições a cada dois anos. Seja para emperrar as cidades, ou ainda tirar dinheiro do bolso para fazer campanha política.

Depois das manifestações de junho de 2013 se esperava muito mais. Principalmente renovação. Na Assembleia Legislativa e na Câmara apenas 30% das bancadas de Santa Catarina foram renovadas.

Continue lendo...

Ruim para a Amurel

O pior resultado aconteceu para a Amurel. A representação política na Assembleia Legislativa caiu de dois para um deputado. Na Câmara Federal, Edinho Bez (PMDB) ficou na primeira suplência. Tudo bem que é da coligação governista e deve exercer o cargo, mas será suplente.

Continue lendo...

Alesc

Os candidatos a deputado estadual de Tubarão também ficaram com os desempenhos bem abaixo do esperado. O vereador Matusa (PT) era um dos mais decepcionados. Com uma campanha mais modesta em 2002 fez quase do dobro dos votos do que fez agora em 2014.

Continue lendo...

Positivo

De positivo ficou o desempenho do único eleito pela região, o deputado José Nei Ascari (PSD). Fez mais de 70 mil votos, foi o segundo mais votado no estado e agora já é cotado como possível presidente da Assembleia Legislativa.

Continue lendo...

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Discurso do mais viável

Na última eleição para prefeito de Tubarão vimos uma série de anúncios em jornais divulgando pesquisas sobre quem estaria em segundo lugar na preferência do eleitor. Como não temos segundo turno por aqui, confirmou-se apenas que era um último recurso para chamar a atenção do eleitor que já tinha Olávio Falchetti como preferido e com a vitória garantida.

Agora estamos vendo novos anúncios, desta vez com os candidatos a deputado estadual dizendo, cada um deles, que só eles têm chances de se eleger. Se tirarmos pelas experiências passadas, pelo jeito não vai ninguém de Tubarão. E se isso se confirmar, a região da Amurel terá sua representação na Assembleia Legislativa reduzida ainda mais.

Com a representação política enfraquecida vamos ter de buscar apoio com parlamentares que têm base eleitoral em outras cidades. Prefeitos e demais lideranças vão ter de recorrer a alguém para obter e liberar emendas, por exemplo. Ao prestar esta atenção, certamente eles vão querer ampliar estas bases e vão cobrar apoio nas próximas eleições. E assim vamos ver mais e mais candidatos pedindo e levando votos por aqui.

É um circulo vicioso e que só tem aumentado nos últimos anos. É difícil apontar responsabilidade e colocar a culpa nesta ou naquela liderança, ou até mesmo no eleitor. Mas é uma situação que fica cada vez mais difícil de ser contornada.

Continue lendo...

Farra dos canteiros

A farra de candidatos diversos poderia ser vista nas rótulas e canteiros centrais das avenidas da cidade. Parte deste problema foi resolvido nos últimos dias. A Justiça Eleitoral, com apoio da Prefeitura de Tubarão, recolheu mais de 50 cavaletes que estavam em situação irregular. Todos foram recolhidos depois das dez horas da noite, o que ultrapassava o horário permitido que é entre seis da manhã dez da noite.

Continue lendo...

Google+ Followers

Seguidores

Twitter







Recent Visitors