segunda-feira, 20 de maio de 2013

Los médicos cubanos

A possibilidade de contratação de médicos cubanos para suprir a carência de profissionais no Brasil tem gerado muita polêmica. As opiniões são diversas e por isso compartilho aqui um artigo do professor e jornalista Laudelino José Sardá sobre o tema. Também polêmico, o texto nos força a uma reflexão.

A PREPOTÊNCIA MÉDICA
(*) L.J. Sardá, jornalista e professor

Foi só o governo determinar a contratação de 3,5 médicos cubanos para o corporativismo médico brasileiro se exaltar, protestar ingressar na justiça com um mandado de segurança para proibir a importação. Na Inglaterra, por exemplo, 40% dos médicos são de outras nacionalidades, porque o Reino Unido não forma profissionais suficientes para atender à demanda de pacientes. Assim ocorre também nos Estados Unidos, França e até no Canadá e Alemanha. Mas aqui no Brasil, o corporativismo médico pouco se importa se o paciente está na fila, principalmente através de planos privados de saúde, há 20, 30 ou 60 dias. Até porque - podem pensar alguns médicos - se a gente fica na fila mais de um mês à espera do carro novo, por que o cidadão não pode esperar o médico? Não é mesmo? Aqui vale até essa comparação!

Formar-se médico no Brasil é privilégio de uma casta social de alto poder aquisitivo. Para ser aprovado no vestibular em universidades públicas, o candidato precisa ter se formado em escolas particulares de I e II graus e ainda frequentado intensivamente o terceirão. O acesso a faculdades particulares de medicina só a famílias de alto poder aquisitivo, em condições de desembolsar por mês em torno de R$ 6 mil (todas as despesas).

Para se ter uma ideia da carência de profissionais médicos só em Santa Catarina, muitos jovens que estão se formando nem pensam agora fazer a residência. Com o canudo nas mãos, eles estão fazendo plantões hospitalares faturando, já de início, em torno de R$ 18 mil.

Está errado? Não! Esses profissionais precisam ser bem pagos, pois cuidam de vidas humanas. Contudo, não se admite o sofrimento do povo. Está mais do que comprovado que médicos não cumprem totalmente seus expedientes em hospitais e postos de saúde mantidos com dinheiro público. Isto porque a maioria das gestões de instituições de saúde está nas mãos de médicos e aí predomina o corporativismo. Lembro-me que o governador Konder Reis, diante desse descalabro, entregou mais de 10 hospitais públicos para as freiras administrarem. E deu no que deu. As irmãzinhas impuseram o controle de ponto e avaliação permanente dos médicos. No governo seguinte, derrubaram as irmãzinhas com um trator eleitoreiro.

Como já foi dito em outras oportunidades, o jornal O Globo destacou recentemente que 60% dos segurados de planos privados de saúde estão recorrendo ao SUS para ser atendidos. Olha só a dimensão da balbúrdia nacional. Além disso, há médicos exigindo complementação a planos de saúde para atender mais rápido.

Só faltava agora a nossa justiça dar liminar à Associação Nacional de Medicina e proibir a contratação de médicos cubanos. O Governo brasileiro deveria fazer como na maioria dos países europeus, Canadá, Cuba, Japão e China: custear a formação de médicos, com bolsas integrais a estudantes carentes e intensificar, com qualidade, a construção de faculdades de medicina em todo o Brasil. Deixe as associações médicas espernearem.

2 comentários:

  1. Muito boa e pertinente a matéria, gostaria apenas de colaborar com a seguinte reflexão. O que está realmente em debate não é a vinda de médicos de CUBA... poderia ser de qualquer pais... o problema é a FORMA que o governo quer trazer esses profissionais... que ao meu ver... é equivocada. No plano do governo, esses profissionais não precisariam nem mesmo realizar o exame que hoje é obrigatório para médicos de outros países que vêm atuar por aqui. O Conselho Regional de Medicina é contra a decisão. Assim sendo, o problema a ser apontado para este assunto de "Médicos Cubanos" não é se devem ou não vir se são ou não Cubanos, Chilenos, Americanos, Russos... mas sim a FORMA de ingresso equivocada que o governo está criando para tapar seus buracos na área da saúde. Lembrando também que esses médicos NÃO poderão concursar para nenhuma vaga de médico para carreira pública, pois só é permitido concursar para vagas públicas Brasileiros (e alguns poucos portugueses que vençam alguns requisitos).

    ResponderExcluir
  2. Rafael,
    Concordo plenamente em seu coerente comentário. Entretanto ele se baseia na crença de que o exame de equivalência é justo. Por justo quero dizer que a grande maioria dos médicos brasileiros tem que ser capaz de passar no exame. Há relatos contrários que dizem que os exames são corporativistas. Eu não sei a verdade sobre esse tema, mas considere-a por instantes. Muda absolutamente o que você disse. Essa resposta é importante antes que defendamos a ferro e fogo nossa opinião, como tem acontecido principalmente pelas redes sociais..

    ResponderExcluir

Comentários são sempre bem-vindos e importantes para que se preserve uma das características essenciais da ferramenta blog: seu caráter colaborativo. No entanto, é fundamental garantir que esse ambiente mantenha seu propósito e conserve os objetivos de acordo com os quais foi idealizado.
Pensando nisso, adotamos a seguinte política de moderação:

• o envio de comentários não implica automaticamente na sua publicação;
• os comentários devem estar sempre relacionados aos temas tratados nos posts e podem, ou não, ser publicados no blog;
• ao enviar qualquer comentário, o usuário se declara autor legítimo do material, responsabilizando-se e isentando o autor do blog de qualquer reclamação ou demanda e autoriza sua reprodução gratuita e definitiva;
• os comentários não poderão conter manifestação de qualquer forma de preconceito; linguagem grosseira e obscena; agressão, injúria, difamação ou calúnia a pessoas e instituições; propaganda político-partidária ou que faça menção a empresas e marcas.

Categories

A Hora do Voto Acit Ada De Luca Aeroporto Regional Sul Alesc Amurel Arena Multiuso Armazém BR-101 Braço do Norte Brasília Câmara Capivari de Baixo Câmara de Braço do Norte Câmara de Criciúma Câmara de Grão-Pará Câmara de Gravatal Câmara de Imaruí Câmara de Imbituba Câmara de Jaguaruna Câmara de Laguna Câmara de Sangão Câmara de São Martinho Câmara de Tubarão Câmara dos Deputados Capivari de Baixo Carlos Stüpp CDL CDR Charge Debates DEM Deputados Desenvolvimento Diário do Sul Dilma Roussef DNIT Economia Edinho Bez Educação Eleições 1982 Eleições 1986 Eleições 1989 Eleições 1992 Eleições 1996 Eleições 1998 Eleições 2000 Eleições 2002 Eleições 2004 Eleições 2006 Eleições 2008 Eleições 2010 Eleições 2012 Eleições 2014 Facisc Governo Estadual Gravatal Imaruí Imbituba Impostos Indústria e Comércio IPTU Jaguaruna JBGuedes Joares Ponticelli Jorge Boeira José Nei Ascari Justiça Justiça Eleitoral Laguna Leis Meio Ambiente Obras Olávio Falchetti Partidos PCB PCdoB PCO PDS PDT Pedras Grandes PEN Pepê Collaço Pesca Pescaria Brava Pesquisas PHS PL PMDB PMDB Mulher PMN Política Porto de Imbituba PP PPA PPB PPL PPS PR PRB Prefeitos Prefeitura de Capivari de Baixo Prefeitura de Gravatal Prefeitura de Jaguaruna Prefeitura de Laguna Prefeitura de São Martinho Prefeitura de Tubarão Prefeituras Presídio Prona Propaganda partidária PRP PRTB PSB PSC PSD PSDB PSDC PSL PSOL PSPB PSTU PT PTB PTC PTdoB PTN PV Raimundo Colombo Rede Sustentabilidade Reforma Administrativa Reforma Eleitoral Reforma Política Reforma Tributária Reforma Universitária Rhumor Rio Tubarão Rizicultura Salários Saúde SDR de Braço do Norte SDR de Laguna SDR de Tubarão SDRs Segurança Senado Senadores Sociedade STF TCE TJ-SC Trânsito TRE Treze de Maio TSE Tubarão Turismo Unisul Unisul TV Vereadores