sábado, 20 de novembro de 2010

"Resolvemos colocar o dedo na ferida", diz Edinho

O jornalista Ricardo Dias conversou com o parlamentar que foi reeleito para mais um mandato, o quinto, na Câmara dos Deputados
RICARDO DIAS - O senhor obteve quase 100 mil votos, mas ficou abaixo da votação de 2006. Como o senhor avalia este resultado?
EDINHO BEZ -
Primeiro agradeço a todos que votaram em mim. Tenho dito que vou continuar fazendo o que sempre fiz, alavancando os recursos necessários e correspondendo como legislador na Câmara dos Deputados. Tenho experiência, conheço o congresso nacional e não vou esperar para aprender porque já trabalharei no primeiro dia. Em Brasília, estou como um deputados mais atuantes e não medirei esforços com o objetivo de continuar correspondendo. Quanto a diminuição, ela foi geral com quase 25% de abstenções e votos brancos e nulos. Eu sempre digo, que perde mais quem tem mais. Eu fiz 120 mil votos em 2006 e agora quase 100 mil e temos que levar em consideração que muitos candidatos também fizeram votos em Tubarão e toda região. Tivemos candidaturas fortes também na região e eu considero um resultado normal, mas eu tinha absoluta confiança na reeleição.

RD - Quais serão as prioridades do seu mandato? O que o Sul pode esperar?
EB -
A região vai contar com a minha experiência, a minha equipe, com o meu trabalho e discussão das questões com as lideranças locais e regionais. As vezes as pessoas me perguntam o que eu vou trazer para Gravatal, Pedras Grandes, Tubarão e Jaguaruna, por exemplo. Eu digo que não sou eu que vou trazer as coisas pra cá. Eu vou continuar fazendo o que sempre fiz, me reunindo com as associações comerciais, CDLs, vereadores, prefeitos, e trocando ideias e ali serão alavancadas reivindicações e necessidades e eu correrei atrás com o objetivo de concretiza-las para satisfazer as nossas cidades.

RD - Em termos locais, como o senhor avalia o futuro do PMDB de Tubarão?
EB -
Nós sentimos na última eleição e já vem de algum tempo, mas agora resolvemos colocar o dedo na ferida e detectar os problemas. Em março nós vamos constituir um grupo de trabalho e este grupo vai identificar as razões e motivos da queda em Tubarão e também vamos aproveitar as pessoas e trazer outras que estejam interessadas em construir para Tubarão e para o partido. Porque um partido político existe para satisfazer a sociedade e no momento que deixa faze-lo, tem que ser corrigido. A instituição PMDB é forte, é grande. É a maior do país, é a maior do Estado e de Tubarão. Então a partir de março vamos construir esse grupo de trabalho e as pessoas que vão trabalhar sabem que teremos disciplina, diretriz e sabemos onde queremos chegar. Temos como foco, já de cara, eleger um companheiro do PMDB prefeito municipal de Tubarão nas próximas eleições.

Continue lendo...

Charge dos Nunes


Confira mais cartuns do Nunes na Revista Hei!

Continue lendo...

Google+ Followers

Seguidores

Twitter







Recent Visitors