quinta-feira, 9 de abril de 2009

Os primeiros 100 dias dos prefeitos

Os prefeitos que assumiram os cargos no dia 1º de janeiro completam nesta sexta-feira (10/4) 100 dias de governo. De maneira geral, para todos, o principal desafio tem sido administrar as cidades com a queda na arrecadação e recursos oriundos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). É preciso muita criatividade.

Mas cada município tem as suas particularidades. Desastres ambientais, estruturas sucateadas, disputas internas, externas e partidárias pelo poder, problemas de saúde e discussões sobre salários foram alguns dos temas que ocuparam o noticiário neste período.

É claro que é cedo para cobrar dos administradores, mas a trégua, ou período de adaptação já passou. Quase 7% do tempo já passou. As promessas de campanha tem que sair do papel. As soluções para os problemas das cidades tem que ser encontrados. Caso contrário, a cada 100 dias se terá muito pouco para avaliar.

Continue lendo...

Banco no Brasil, bom negócio

Por que mesmo com a crise é bom ser dono de banco no Brasil? Compare as taxas de juros aplicadas aqui e no exterior e tire suas conclusões: HSBC, na primeira semana de abril cobrava 63,42% ao ano no Brasil e 6,60% na Inglaterra; Santander, com taxa de 55,74% no Brasil e de 10,81% na Espanha; e Citibank, com 7,28% nos Estados Unidos e 60,84% no Brasil.

Como se vê, para os bancos não tem negócio ruim.

Os dados são do Instituto de Pesquisa Econômica Avançada (Ipea) e um estudo realizado pela entidade conclui que o sistema atual contribui para a desigualdade social.

Continue lendo...

Siglas de aluguel

As chamadas siglas de aluguel ou aqueles partidos com pouca, ou quase nenhuma representação, são lembradas somente em época de eleições. Lembradas por aqueles que procuram um partido para se candidatar ou então por aqueles que se vêem prejudicados e criticam a prática. Depois disso caem no esquecimento.

Não posso acusar aqui e nem dizer quais são estes tais partidos, mas vejo que temos um número excessivo de siglas partidárias em nosso sistema eleitoral e isso precisa ser revisto.

A fidelidade partidária já ajudou bastante, mas ainda é preciso melhorar muito.

Continue lendo...

Fim da prisão especial, mas com exceções

Sabe aquele privilégio que as pessoas com curso superior tinham aos serem presas por algum crime, ou suspeita, a chamada prisão especial? Pois é, o Senado aprovou ontem o projeto de lei que extingue este privilégio. Caso não seja registrado nenhum recurso, o projeto será encaminhado para análise da Câmara dos Deputados.

O projeto de lei mantém, no entanto, o direito a prisão especial para ministros, governadores e secretários estaduais, prefeitos, vereadores e chefes de polícia. Também são privilegiados por este foro parlamentares, magistrados e oficiais das Forças Armadas. O também projeto abre uma brecha para que, em última instância, o juiz estabeleça a prisão especial, caso julgue necessário.

Eu sou contra esta prisão especial, mas também sou contra que pessoas presas pelos mais diferentes motivos sejam misturadas dentro da cadeia. Penso que é preciso haver uma separação por crimes. Ladrões de galinha de um lado, autores de crimes hediondos de outro. Já ladrões de dinheiro (público ou privado) podiam ficar todos juntos mesmo, afinal, o povo é o maior prejudicado.

Continue lendo...

Google+ Followers

Seguidores

Twitter







Recent Visitors